Marxismo e Filosofia da Linguagem – obra de Mikhail Bakhtin


Valéria Rodrigues com o exemplar do livro Marxismo e Filosofia da Linguagem. (FOTO/ Nicolau Neto).


A obra Marxismo e Filosofia da Linguagem foi publicada em 1929 na Rússia e é assinado por Volochinov, porém foi atribuído anos mais tarde a autoria a Mikhail Bakhtin. A bem da verdade, Volochinov era discípulo de Bakhtin e as razões que teriam levado este a escolher seu amigo e seguidor para subscritar o livro ainda estão por definir de forma nítida.

Segundo Roman Jakobson - que escreveu o prefácio do livro que ora faz parte desta nova série do Blog -, Volochinov sendo o assinante de várias outras produções do final dos anos 20 e início dos anos 30 do século passado e cita como exemplo um volume sobre doutrina do feudalismo datado de 1927, mas que são mesmo de autoria de Bakhtin, como também o é ensaios sobre a linguagem na vida e na poesia.

Mas ele (Bakhtin) refutava certas “verdades” ditas absolutas e impostas aos autores, o que fez com que este autor, filósofo russo e pesquisador da linguagem humana ficasse completamente desaparecido da imprensa russa durante muito tempo.

Em que pese a Marxismo e Filosofia da Linguagem, Bakhtin apresenta uma filosofia da linguagem fundamentada na teoria marxista e com uma escrita que lhe é peculiar procura desenvolver temáticas como a ideologia e dialética do signo linguístico e o signo como espaço da luta de classes. É outrossim, uma obra que analise diferentes tipos de discursos – direto, indireto, indireto livre, dentre outros -, além de destacar as relações entre linguagem e ideologias de forma a superar as barreiras impostas pelo pensamento ortodoxo.

Marxismo e Filosofia da Linguagem é um dos mais novos livros que inclui em meu espaço e conclui a leitura em 2013. A obra é editada pela editora Hucited em 2010 (14ª edição), traduzido por Michael Lahud e Yara Frateschi Vieira, prefaciado por Roman Jakobson e conta com a apresentação de Marina Yaguello.


Postar um comentário

0 Comentários