Eu e Tu - obra de Martin Buber


Nicolau Neto com exemplar do livro Eu e Tu. (FOTO/ Valéria Rodrigues).


A filosofia do diálogo é uma das questões mais elucidativas na obra “Eu e Tu”, do filósofo, sociólogo e psiquiatra austríaco Martin Buber, mas que mudou-se ainda muito jovem para a Alemanha, país onde tornou-se conhecido no mundo pelas seus pensamentos e transcritos em livros.

Eu e Tu é tido como uma das maiores escritas do século passado e considerada como aquela mais densa e madura pensamento filosófico de Buber. Nela, ele fala daquilo que é essencial na vida humana e que, sem ela, não há como a humanidade existir, a saber: o “diálogo” e ele sabiamente menciona ainda a “comunicação”.

É nesse jogo que Buber vai constituir seu livro no sentido de que o conceito de “relação” significa aquilo que essencialmente ocorrer entre humanos e entre esstes e Deus. Nesse sentido, o “eu" e “tu” que seria exatamente essa “relação” e o “eu e o “isso” são conceitos ou palavras chaves na montagem do quebra-cabeça da nossa existência.

Na obra, o Eu-Tu é a relação que acontece entre sujeitos (sujeito-sujeito) e onde o “tu” espelha a ideia de que cada ser. O Eu-Isso representa nesse jogo relacional o sujeito x objeto, em que o “isso” estampa o universo do objeto. 

Buber apresenta nesse livro a ideia de que somos seres relacionais e que por termos essa característica permeada de intersubjetividade faz com que tenhamos a necessidade do “diálogo”.

Eu e Tu” foi traduzido do alemão, com introdução e notas de Newton Aquiles Von Zuben, professor da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

O livro que li em 2014 está na sua 10º edição e foi publicado em 2001 pela editora Centauro. E é essencial principalmente em tempos que a grande maioria das pessoas perderam a capacidade de dialogar e passaram a impor.


Postar um comentário

0 Comentários