Brasil atinge mais de 1.000 mortos, mas para Bolsonaro o vírus ‘parece que está começando a ir embora’


Bolsonaro em live com religiosos neste domingo (12). 
(FOTO/ Reprodução/ Jair Bolsonaro no Facebook/ Folha de São Paulo).


Dados do Ministério da Saúde contatou que o Brasil atingiu mais de vinte e dois mil (22.169) casos conformados de infectados pela pandemia do Coronavirus, a Covid -19 e mais de hum mil e duzentas mortes pelo mesmo vírus. Somente do Estado do Ceará, o terceiro com mais infectados, esse número atingiu conforme boletim da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) e do próprio ministério, oitenta e cinco mortos e hum mil setecentos e quarenta e sete infectados.

São dados preocupantes por vários motivos, mas que me concentrar naqueles que, considerando as condições do país, são os mais relevantes:

1 – O pico da doença ainda não chegou. É o que tem alertado a maioria dos/as profissionais da saúde do mundo;

2 – O Ministério da Saúde não tem feito testes em todos. Essa fala foi inclusive relatada ontem à noite (12/04) pelo Ministro da Saúde Henrique Mandetta no Fantástico, o que segundo ele, os número até então divulgados estejam subestimado;

3 – A Covid -19 tem se mostrado uma doença que atinge mais negros. Esses dados foram publicizados pelo próprio Ministério da Saúde sob pressão dos movimentos negros;

4 – O Sistema de Saúde entrará em colapso, pois o Pico do coronavirus ainda não chegou e o pais não possui estrutura para atender a uma quantidade muito grande de infectados e isso que vai ocorrer se as medidas adotadas pelos/as governadores/as e prefeitos/as não forem prontamente atendidas pela população;

5 – Mas e quem não tem casa, como fica?;

6 – E quem não tem comida, como fica?;

7 – A Covid -19 ao contrário do que tenho ouvido ultimamente não veio por um castigo de deus; não veio para demonstrar o quanto somos solidários/as; não veio para nos unir; Ao contrário, é uma doença que está aí para demonstrar o quanto o país é desigual, é desumano e para escancarar o que a grande maioria do povo brasileiro sempre viu, mas fez e ainda faz questão de não enxergar – as desigualdades de todos os tipos latentes (social, racial e de gênero).

Mas mesmo diante desse quadro o presidente continua a adotar um discurso genocida. Está sempre que quer a incitar o povo a irem as ruas, a passear, contrariando as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do próprio Ministério da Saúde.

Mas ele achou que somente incitar o povo a desobedecerem às ordens de pesquisadores/as, da OMS e do ministério não seria suficiente. Agora é preciso também dizer alto e mau som que o virus está indo embora. “Parece que está começando a ir embora essa questão do virus”, disse ele em uma live com religiosos que se alinham a esse discurso que vai na contramão de especialistas da saúde.

Disse certa vez que o Brasil está com duas grandes crises – a Covid -19 e o presidente. E a segunda está todos os dias demonstrando que veio para somar com a primeira.

Postar um comentário

0 Comentários