Em 1ª sessão remota da História, Câmara de Altaneira aprova suspensão da cobrança de iluminação pública


Primeira sessão remota da História da Câmara de Altaneira. (FOTO/ Reprodução).


O Poder Legislativo de Altaneira realizou na manhã desta quarta-feira, 22, a primeira sessão remota (virtual) da História. O fato ocorreu em face da pandemia de Coronavirus (a Covid -19) e do corpo legislador/fiscalizador ser composta por duas pessoas em situação de risco.

A sessão remota foi uma sugestão de dois integrantes do Grupo Blog Negro Nicolau(BNN) no WhatsApp – os professores Gutemberg Estevão e Nicolau Neto – este último é também o administrador.

O fato histórico, que já vinha sendo realizado pela pelo Congresso Nacional, pela Assembleia Legislativa do Ceará e algumas Câmaras Municipais, só chegou só pode ocorrer em Altaneira depois que o presidente da casa, o vereador professor Adeilton (PSD) conversou com demais parlamentares e apresentou um estudo financeiro, o que segundo ele, está dentro do orçamento, sendo possível sua realização.

A sessão remota que contou com a participação de todos/as os/as vereadores/as, recebeu elogios. Flávio Correia e Antonio Leite, ambos do PDT, chamaram a atenção para o fato do legislativo local não se furtar de sua função em um momento crítico, de pandemia. Devaldo Nogueira (PT) destacou sua condição de risco e que via essa atitude do presidente como positiva. Alice Gonçolves, também do PT afirmou que “era um momento de glória participar da sessão virtual” e que era necessário respeitar a quarentena.  Zuleide Ferreira (PT) e Valmir Brasil (PDT) também parabenizaram a sessão remota. Quem também o fez foi Cier Bastos (PDT) e ainda argumentou que era necessário, “mesmo nesse momento difícil”, seguir os trabalhos.

Críticas à gestão de Dariomar não faltaram, bem como defesas. O que fez com que a sessão seguisse os rumos das anteriores (presenciais).

Dito isso, foram aprovados dois projetos oriundos do poder executivo. O primeiro, não necessariamente nessa ordem, autoriza abertura de credito adicional especial ao vigente orçamento do Município. Este recebeu uma emenda do relator da comissão, Antonio Leite (PDT), de R$ 500 mil que sairá da Infraestrutura para a Saúde. O outro versava sobre a suspensão da cobrança da contribuição de iluminação pública. Uma emenda também do relator fez com que comerciantes também fossem contemplados.

Também foi aprovado por unanimidade, a exemplo dos outros dois, um projeto de resolução de autoria da mesa diretora da casa o Sistema Virtual.

Postar um comentário

0 Comentários