Açude Tabocas e Lagoa Santa Tereza, em Altaneira, sangram


Açude Tabocas e Lagoa Santa Tereza, em Altaneira, sangram. Açude Tabocas e Lagoa Santa Tereza -
da esq para a dir. (FOTO/João Alves).

No mês de março Altaneira choveu apenas 147 milímetros distribuídos em nove dias. O maior volume foi registrado entre às 7 horas do dia 24 e às 7 horas do dia 25 com 42,0 mm. E o menor índice pluviométrico ocorreu no último sábado, 23, com apenas 3,0 mm.

Apesar da pouca quantidade de chuva no mês, se comparado a outros que estão na mesma região, como em Santana do Cariri que em apenas um dia choveu mais que nesses nove dias em Altaneira, os 147 mm registrados foram suficientes para que alguns reservatórios sangrassem. É o caso dos açudes Tabocas (na zona rural), o do seu Mundinho (sítio poças). Quem também sangrou foi a Lagoa Santa Tereza, no centro da cidade e símbolo do povoamento do local.

A tendência e a esperança dos altaneirenses é que o alto volume de água acumulado, principalmente no açude Tabocas, venha a fazer com que o açude Valério, conhecido popularmente por Pajeú, sangre. As águas do Tabocas descem para o Pajeú.

As sangrias dos reservatórios foram registradas pelo servidor público e radialista João Alves.

Postar um comentário

1 Comentários

Ao comentar, você exerce seu papel de cidadão e contribui de forma efetiva na sua autodefinição enquanto ser pensante. Agradecemos a sua participação. Forte Abraço!!!