Projeto do Parque Municipal Lagoa de Santa Tereza é aprovado na Câmara de Altaneira

 

Lagoa Santa Tereza idealizada. (FOTO | Arquivo do Blog).  

Por Nicolau Neto, editor

Foi aprovado nesta quarta-feira (9) pelo plenário virtual da Câmara de Altaneira o Projeto de Lei que cria o Parque Municipal Lagoa de Santa Tereza.

O texto que é oriundo do poder executivo municipal recebeu parecer favorável a aprovação da Comissão Permanente (CP) da casa, tendo como uma das suas finalidades o desenvolvimento de uma cultura de preservação ambiental através do cuidado da vegetação do entorno da Lagoa e da recuperação de áreas destruídas. 

Veja também - Fórum da Comarca vinculada a Altaneira realiza Audiência Pública para debater projeto de revitalização da Lagoa

O projeto visa ainda o estímulo do turismo no município - principalmente o ecológico - além de  oportunizar lazer aos munícipes e visitantes. Outra ação constante desta propositura é que ela permite que as construções que ficam nos arredores possam ser removidas pelo executivo. 

Conforme registros da assessoria da casa, o PL foi aprovado por unanimidade e teve muita discussão. O recém integrado à Câmara, o vereador Júnior Paulino (PT), relembrou a luta do professor e presidente da casa, Deza Soares (PT), pela causa e frisou que tem esperança de ver a efetividade do projeto. Na mesa linha de raciocínio, o vereador Prof. Nonato, da mesma sigla de seus antencesores, asseverou a importância do texto ao relatar que é necessário ir em busca de aparato financeiro tanto a nível estadual quanto federal.

Para a vereadora Rafaela Gonçalves (PT), o texto trará ganhos para os munícipes, classificando-o como "um divisor de águas" e que ele fará "toda a diferença para a história e cultura de Altaneira". 

"Um momento histórico". Foi assim que se manifestou o presidente da casa, Deza Soares, também do PT. Um dos mentores dessa luta ao lado da fundação ARCA, ele destacou que a ação favorece a todos e que é uma luta de muitos anos, ao tempo que teceu agradecimentos ao prefeito Dariomar por ter somado nesse intento. 

Os demais edis - Ariovaldo Soares (PDT), Paulo Geaneo (PT), Robercivânia Oliveira (PSD), Silvânia Andrade (PT) e Valmir Brasil (PDT) também se manifestaram favoravelmente a propositura, mas não foi registrado no site da Câmara. A Assessoria de Comunicação justificou que foi devido "o limite de caracteres das notícias no site". 

O projeto segue agora para a sanção ou veto do prefeito

 

Postar um comentário

0 Comentários