Movimentos sociais vão às ruas pedir impeachment de Bolsonaro

 

(FOTO/ Juca Guimarães).

Após as manifestações em todo o país contra a gestão do atual presidente Jair Bolsonaro no fim do último mês de maio, organizações sociais que atuam na luta pelos Direitos Humanos convocam, mais uma vez, à ativistas e cidadãos a irem às ruas. Com uma mobilização nas cinco regiões do páis, os protestos estão marcados para o próximo sábado (19) e representam mais uma sinalização da crise de popularidade intensificada pela forma como a pandemia foi negligenciada pelo governo federal.

Intitulado como “Fora, Bolsonaro”, o ato nacional trará como pautas o investimento na compra de mais vacinas e na estrutura dos aparelhos da saúde que atuam contra a pandemia pela COVID-19, o direito à comida na mesa e garantia de renda mínima para pessoas em situação de vulnerabilidade social por meio da garantia de auxílio emergencial condizente com a situação atual econômica do país. O ato ainda será contra o genocídio negro recorrente em território nacional e a própria atuação do gestor da república, que vem negligenciando pautas fundamentais para a garantia de um estado de direito democrático. 

Para a Coalizão Negra por Direitos, que reúne entidades do movimento negro de todo o país , hoje, a população brasileira vive em estado de radicalização da morte de pessoas negras, por isso a importância da pauta durante o próximo ato. “Seja pela intensidade da pandemia que já vitimou quase meio milhão de brasileiras e brasileiros, maioria de negras e negros, seja por conta da crise social, da miséria e da fome que afeta o país, seja por meio da ação do estado-governo miliciano de Bolsonaro e de governadores aliados que impõem o terror e a morte através de suas polícias e milícias armadas. A população negra mobilizada, assim como se deu nos EUA, é fundamental para derrotar as forças ultraconservadoras e genocidas no contexto Brasileiro”, aponta a organização.

Para quem for às ruas, a indicação dos movimentos e entidades negras é de cuidado com a exposição ao vírus. O conselho geral dado pela Coalizão Negra segue as normas sanitárias de circulação na fase atual, como uso obrigatório de máscaras, ideal que seja PFF2 ou N95, álcool em gel nas mãos e distanciamento durante todo o ato. 

Na última ação, ativistas estimaram que ocorreram manifestações em ao menos 213 cidades do país e 14 do exterior. Para o próximo dia 19, a expectativa é que mais municípios se juntem à luta. Em Pernambuco, a última manifestação acabou com uma atuação repressora da polícia militar, que disparou balas de borrachas contra ativistas e efetuou prisões arbitrárias.  Duas perderam perdera a visão. 

Para acompanhar o horário e de onde a passeata na sua cidade partirá, confira a lista de cidades que já aderiram ao ato clicando aqui.

_______

Com informações do Alma Preta.

Postar um comentário

0 Comentários