Após acusação de racismo, Inep muda gabarito de questão do ENEM

 

(FOTO/ Reprodução).

Por Nicolau Neto, editor-chefe

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) alterou nesta quinta-feira, 28, o gabarito de uma questão de inglês. O caso ocorreu após candidatos do da edição 2020 do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) apontarem racismo na resposta oficial.

Aplicada no primeiro dia do exame, a questão é parte integrante da prova da área de Linguagem e traz no corpo da discussão uma passagem de “Americanah”, obra da escritora nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie, onde duas pessoas negras, uma cabeleireira e uma cliente estão dialogando. No diálogo, a cliente afirma que não deseja alisar os cabelos porque gosta deles “do jeito que Deus os fez”.

É perguntado na questão quais argumentos sustentam a defesa da cliente. O gabarito oficial divulgado inicialmente apontou como resposta certa a letra D, que relaciona a atitude da mulher a uma “postura de imaturidade”.

Depois da acusação de racismo, o Inep divulgou novo gabarito apontando como correto o item C, em que afirma que o comportamento da cliente revela “uma atitude de resistência”.

Ao justificar o caso por meio de uma nota o Inep disse que houve uma alteração no gabarito após o retorno das provas para este órgão e que não havia sido salva no banco de dados. “A autarquia verificou que uma modificação feita no gabarito após o retorno das provas para o Inep não foi salva no banco de dados. Em função disso, a área técnica providenciou uma revisão no material e o instituto já disponibilizou as versões corrigidas no seu portal”.

Postar um comentário

0 Comentários