Hino do município de Altaneira cantado pela Banda Cabaçal


Hino do município de Altaneira cantado pela Banda Cabaçal.
(FOTO/Reprodução do vídeo no YouTube).

Texto: Nicolau Neto

Em 28 de fevereiro de 2012 o município de Altaneira, na microrregião do cariri oeste cearense, realizara uma das suas últimas e mais bem organizada conferência de cultura, fato que só se repetiria uma depois quando foi consolidada mais de trinta propostas para a etapa estadual.


Foi em 2013, inclusive, que eu apresentei três das mais importantes propostas para o setor - construção de um arquivo público municipal, o tombamento dos bens materiais e imateriais que fazem parte do patrimônio histórico, cultural e natural do município e o fortalecimento do diálogo entre educação e cultura, no sentido da construção de uma sociedade plural e multiétnica a partir da adequação dos currículos escolares quanto à inserção da cultura afro-brasileira e indígenas nos conteúdos e trabalhados de forma sistemática.

Mas voltando a 2012, a Banda Cabaçal do município liderada pelo mestre João Zuba (1945 – 2017) deu um dos seus últimos espetáculos – do som dos pífanos saiu o Hino de Altaneira. O mestre João Zuba teve a companhia de seu fiel companheiro e que o ajudou a idealizar a Banda – Luiz Manoel.

O Hino de Altaneira foi escrito (ver letra abaixo) por Euclides Nogueira Santana, popularmente conhecido por “Seu Quido” e musicado por Pe. Ágio Moreira:
“Altaneira, Ó terra adorada
Nas montanhas foste edificada
Delfraldando o teu pavilhão (BIS)
Liberdade é o teu brasão
CORO
A cantar de saudamos com amor
Teu porte cheio de raro esplendor
És orgulho da terra alencarina (BIS)
Com o brilho do lago que fascina
Sob o olhar de Santa Tereza
De quem hedas a fé e a nobreza
Da paz ergues a branca bandeira (BIS)
Que te dá nome ó Altaneira
CORO
Quando longe desta terra amada
A saudade nos fere e esmaga
Nos sentimos pássaros feridos (BIS)
Sem afeto e sem o lar querido”.

Abaixo você confere o Hino cantado pela Banda Cabaçal, um patrimônio cultural imaterial do município.


             

Postar um comentário

0 Comentários