Vereadora de Altaneira quer que rede municipal de ensino tenha noções básicas sobre lei Maria da Penha

 

Vereadora Rafaela Gonçalves. (FOTO / Reprodução / Instagram).

Por Nicolau Neto, editor

Em reconhecimento a resistência e a luta cotidiana de mulheres para manter direitos básicos conquistados a duras penas e para adquirir outros, a vereadora por Altaneira, Rafaela Gonçalves (PT), aproveitou a semana em que se relembra o Dia Internacional da Mulher e apresentou na sessão realizada nesta quarta-feira (10) o Projeto de Lei 002/2021 que visa inserir na rede municipal de ensino noções básicas da Lei Maria da Penha.

Ao justificar o projeto, a vereadora Rafaela destacou que “busca contribuir com o desenvolvimento de uma conscientização ainda na fase de formação do indivíduo já nos primeiros anos do ensino fundamental para fazer com que esse debate, esse desenvolvimento dessa maturidade social e de igualdade de gênero inicie nessa fase estudantil”.

Rafaela frisou ainda que é nessa etapa de ensino “que se forma os futuros cidadãos” e que se constrói a consciência coletiva.

porque não iniciar o nosso combate a violência de gênero e o nosso combate ao feminicídio nas futuras gerações pelo ensino e a tratativa de abordagem da Lei Maria da Penha ainda nas grandes curriculares?", indagou

A vereadora mencionou também que se embasou para a construção dessa propositura em dados da Segurança Pública do Estado do Ceará e dos dados de ocorrência no município.

A matéria seguiu para análise e emissão de parecer da Comissão Permanente da casa.

Durante seu pronunciamento no tema livre, a edil teceu elogios a um evento virtual em homenagem as mulheres promovido pela Secretária Municipal de Educação, Pepeta Caldas e a roda de conversa via Google Meet realizada por este editor com quatro mulheres altaneirense com o tema “Mulheres: Lutas, Resistência e Múltiplas Vozes”. Esse fato foi citado também pelas vereadoras Silvânia Andrade e Zuleide Ferreira, ambas do PT.

Postar um comentário

0 Comentários