"Não nos verás caídas ao chão", pois "temos compromisso com nossa ancestralidade", diz ativista Eliana


Eliana. (FOTO/ Reprodução/ Facebook).

Pauta do movimento negro, para muitas pessoas brancas é mimimi;
História da escravização do país sendo negada;


Denuncia de Racismo cotidiano, história do sofrimento negro do tempo da escravização e as desigualdades raciais, sociais sendo tratadas por muitas pessoas brancas de "vitimismo".

Pessoas brancas dizendo como negros (as) devem ser e o que fazerem;
Pessoas brancas justificando racismo estruturante, criticando o que dizem ser "branqueamento" de negros (as) quando dizem que "negr@s são racistas com eles mesmos". Mas, como preto pode ser racista consigo mesmo?

Movimento negro sendo criminalizado e sob pedido do Presidente da Fundação Cultural Palmares de acabar com esses movimentos;

Pessoas brancas e pretas defendendo a "meritocracia" culpabilizando pretos e pobres por não conseguirem "sucesso profissional na vida" isso para justificar a retirada de programas e políticas públicas de acessos;
As mínimas conquistas de direitos sendo retiradas;

É o pior, negação das nossas existências, das nossas capacidades e possibilidades. Por isso fazerem tudo para não permitir negr@s em espaços de poder. Por isso o processo de eugenizacão e higienização social. Por isso o genocídio da aniquilamento, por isso a invisibilizacão e indiferença ao povo negro;

Ainda, escutar pessoas de esquerda com o discurso "macro" de transformação da sociedade sob solução econômica e social e a partir daí todas as outras questões estarão resolvidas. Isso não é verdade, pois racismo é estruturante damo Estado, mas também do pensamento e valores sob racismo, preconceito e discriminações interseccionalizado raça, classe, gênero e cultural. Precisa algo mais.

Tudo isso e ainda preto passando pano pra branco, contra negr@s, fortalecendo o racismo estrutural institucionalizado.

De um lado há ausência (ou quase nada) representatividade de negr@s nos espaços institucionais. Por outro, perceber que quando há representatividade negra um ou outro age como se fosse inimigo da coletividade negra, exemplo disso é o vereador Holiday e agora esse presidente da FundaçãoCultural Palmares.

A propósito, eu tenho certeza que eles têm "Consciência cidadã" e Consciência humana". São pessoas de Bem, muitos, Cristãs.

Mas, falta uma coisa importante: falta "Consciência racial".

Falta perceberem-se negras e num lugar vigiado.

Mas, como querer isso?

Eles são de direita, eles têm lado, eles escolheram viver o lado da branquitude racista, patriarcal...

Que pena!

Ainda assim, "não nos verás caídas ao chão". Seguiremos, pois "temos compromisso com nossa ancestralidade". Tempo resistência com nosso presente...
___________________________________
Eliana é ativista dos direitos civis e humanos, feminista e Antirracista.

Postar um comentário

0 Comentários