Acordos e colisões: família, sexualidade e lesbianidade, dissertação de mestrado de Josyanne Gomes


Josyanne Gomes disponibiliza dissertação de mestrado "Acordos e colisões:
família, sexualidade e lesbianidade". (FOTO/Reprodução/Facebook).

Texto | Nicolau Neto

O dia 29 de agosto foi instituído como o dia nacional da visibilidade lésbica e faz referência à realização do primeiro Seminário Nacional de Lésbicas (Senale) realizado no Rio de Janeiro, em 1996, para tratar de temas relacionados à violação de direitos das mulheres em razão da sua orientação sexual.


Aproveitando a data a antropóloga altaneirense Josyanne Gomes divulgou e disponibilizou sua dissertação de mestrado junto a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). “Hoje, 29 de agosto é dia da visibilidade lésbica. Para quem não sabe a lesbianidade é uma orientação sexual, independentemente da aceitação ou não da sociedade. Na minha pesquisa de monografia e de mestrado eu discuti sobre essa temática, e tenho orgulho de estar sempre aprendendo cada dia mais”, disse Josyanne em suas redes sociais.

A dissertação “Acordos e colisões: família, sexualidade e lesbianidade” versa sobre as experiências e situações vivenciadas por mulheres que se autodenominam como lésbicas, no estado do Rio Grande do Norte e teve o objetivo de compreender como a (homo) sexualidade feminina, passa por um jogo entre ocultar e revelar suas identidades lésbicas de acordo com a dinâmica que estão envolvidas. Desse modo, suas biografias são construídas e organizadas em confluência com os espaços de (homo) sociabilidades, pelos quais essas mulheres transitam cotidianamente.

Na pesquisa o conceito de aceitação foi amplamente explorado para tentar analisar e entender um estilo de vida diferente daquele adotado por outros membros do núcleo familiar. Importante também foi compreender os processos de coming out, como situações cotidianas e não eventos programados para acontecer. “A literatura Sociológica sobre segredo nos ajudou a compreender os silêncios e tensões que perpassam a lesbianidade das mulheres dessa pesquisa. Diferente do que se possa imaginar esse segredo nem sempre figurou como um pânico moral, mas antes, susceptível de agenciamento e novas interpretações”, destaca ela.

Vamos celebrar a diversidade e enaltecer o amor em suas múltiplas formas. Viva os movimentos sociais e as lutas diárias. Vamos que vamos”, escreveu Josyanne.

Postar um comentário

0 Comentários