Grunec lança carta de apoio as candidaturas de Zuleide Queiroz e Coletivo Sementes, em Crato

 

Zuleide Queiroz e Coletivo Sementes. (FOTOS/ Reprodução/ Redes Sociais).

Por Maria Raiane*

É preciso votar em mulheres negras! Por isso o Crato tem opção.

De forma secular as mulheres negras foram impedidas de adentrarem a esfera política, por diversas questões advindas de um período colonial, escravagista, racista e machista. As mulheres negras foram as primeiras a adentrarem na luta por direitos e as primeiras a pautar a questão do abolicionismo penal, por saberem que essa forma perversa de aprisionamento só encarcera os seus.

Trazendo para a dura realidade brasileira e a falsa democracia que está posta após o ano de 1988, onde um papel afirmava e colocava por escrito que “todos teriam as mesmas oportunidades e viveriam com igualdade” (...) tudo mentira.  Enxergamos que com Racismo não há democracia. O racismo no nosso país sempre foi o mesmo e a cada dia sentimos mais ainda na pele e no bolso que essa democracia nada mais tá do que fascista, racista, LGBTfóbica, xenófoba e machista.

Sabemos que a composição nas esferas de poder são hereditárias e quem ocupa esses espaços  hoje são os netos e bisnetos daqueles que um dia nos mantiveram trancafiadas em suas casas grandes. Sabemos também que temos cadeiras o suficiente nas bancadas legislativas que deverão e precisarão ser ocupadas por mulheres negras. Não queremos parceria com nenhum governo para que eles tratem de nossas demandas, nós queremos tomar nossas próprias decisões.

Maria Raiane. (FOTO/ Reprodução/ Facebook).

Nós mulheres negras e nossas famílias são as mais afetadas pelo subemprego, desemprego, todos os tipos de violências e índices de mortalidades. Sabemos falar sobre tudo além do racismo que nos atravessa, assim como sabemos falar de economia e de outras esferas que, primeiramente, passam por nós e nos afetam. Somos nós quem pautamos a saúde integral para toda a população, quem tem projeto pedagógico para uma educação de qualidade, quem se preocupa com a assistência social que a população necessita, que pensa um fomento a cultura; esporte; lazer, que discute sobre o combate as violências, como também o direito a transporte público e mobilidade urbana.

Acreditamos que a política institucional só terá futuro com mulheres negras ocupando cargos de decisão em todos os âmbitos, inclusive, nas câmaras municipais.

É diante desse exposto que nós do Grupo de Valorização Negra do Cariri demonstramos a público todo o nosso apoio ao Coletivo Sementes- composto por Verônica Isidório, Jessica Lorenna, Valéria Carvalho, Ivaneide Serevo e Luana Ricarto- coletiva candidata a vereança na cidade de Crato e a candidatura da professora Zuleide Queiroz a prefeitura também da cidade de Crato-CE.

Todas essas mulheres são de luta e referências nos movimentos sociais na região do Cariri e precisamos dar o nosso voto de confiança para que as coisas possam florescer.  E nunca esqueçamos, que “quando as coisas ficarem boas para as mulheres negras, as coisas ficam boas pra todo mundo”.

____________________

Maria Raiane Felix Bezerra é vice-presidente do Grupo de Valorização Negra do Cariri- GRUNEC.

Postar um comentário

0 Comentários