Segundo turno em SP é indicativo para 2022, diz cientista político

 

FOTOS: Reprodução/ Instagram/ Bruno Covas - Reprodução/ Twitter/ Guilherme Boulos).

O segundo turno em São Paulo, disputado entre Bruno Covas (PSDB) e Guilherme Boulos (PSOL), pode ser um indicativo do caminho que será trilhado pela esquerda em 2022. A avaliação é de Aldo Fornazieri, doutor em Ciência Política e professor na Fundação Escola de Sociologia e Política (FESPSP).

Em entrevista a CartaCapital, o cientista político faz um balanço das chances progressistas nas eleições municipais deste domingo 29 e o que a vitória ou derrota do campo político significariam para o futuro.

Acredito que o segundo turno em São Paulo configurou um indicativo para 2022, que é uma frente de centro esquerda, que acrescente o PSB, PDT e Rede [além de PT e PCdoB]. Eu penso que vai haver uma pressão social e pública para que se forme esse movimento”, diz o professor.

Para ele, as eleições 2020 mostram que os partidos recuperaram o espaço que haviam perdido para o movimento anti-política que ajudou a eleger o presidente Jair Bolsonaro em 2018.

Na conversa, Fornazieri aponta que o “bolsonarismo” está em retrocesso e que o apoio do presidente não foi determinante na escolha dos prefeitos pelo eleitorado.

__________________________

Clique aqui e leia a entrevista completa.

Postar um comentário

0 Comentários