Quais os cenários possíveis para as pré-candidaturas a prefeito/a de Altaneira?


Prefeitura de Altaneira. (FOTO/ Nicolau Neto/ Arquivo Pessoal).

Texto: Nicolau Neto

Nos últimos dias vem se intensificando discussões referentes as pré-candidaturas a prefeito/a de Altaneira, município localizado na microrregião do cariri oeste cearense. Quatro nomes já dispuseram a concorrerem ao mais alto posto eletivo, sendo que um deles deseja permanecer lá por mais quatro anos.

As duas oposições ao prefeito Dariomar Rodrigues (PT) já confiram três nomes, a saber: a atual presidente da Câmara, o vereador e professor Adeilton Silva (PSD), o professor e diretor da Escola de Ensino Médio Santa Tereza, Paulo Robson (PDT) e o servidor público Nézio de Sousa (Podemos).

Inicialmente, a aposta da oposição mais crítica ao prefeito era que o candidato derrotado nas eleições de 2016, o empresário Ricardo Arrais (PSD) resolvesse disputar novamente o cargo. Apostava-se ainda na também empresária Kézia Alcântara, filha do ex-prefeito por vários mandatos João Ivan Alcântara. Mas ambos lançaram notas destacando o não desejo na disputa.

O Blog vem desde os primeiros rumores abordando este cenário de possíveis nomes ao palácio Francisco Felelon Pereira. Foi publicado primeiro aqui neste espaço a tese do servidor público e candidato derrotado nas eleições para presidir o Sindicato do Servidores Municipais de Altaneira (Sinsema), Nézio, em concorrer ou não a este mandato. “Só não concorrerei se Ricardo for o pré-candidato”. Essa era a única objeção alimentado por Nézio e dita ao Blog pelo presidente do seu partido, o suplente de vereador Paulo Henrique Maia.

Ricardo não será o pré-candidato da oposição mais crítica ao modelo de gerir o município por Dariomar. Ela já possui dois. A perguntas que ficam agora é – Nézio manterá firme o projeto de ser o pré-candidato da oposição moderada? Nézio e seu partido farão alianças com o outro grupo de oposição?

Se depender do presidente do Podemos a segunda pergunta não vingará. Não enquanto partido. O que significa que filiados/as poderão ficar à vontade para votarem em quem desejarem. A única certeza no Podemos é que esta agremiação irá lançar postulantes ao legislativo municipal. Se tivesse que formar uma opinião quanto a este cenário, diria que esta agremiação virá apenas com nomes para concorrerem a vagas na Câmara.

Mas e quanto a oposição mais crítica? Paulo Robson e Adeilton optarão por concorrem de forma isolada? Os dois partidos (PDT e PSD) entrarão em acordo a ponto de serem os dois uma chapa? Ainda surgirá outro nome nesta ambiência? Quem?

Nem mesmo o mais radical dos oposicionistas acreditariam na possibilidade da primeira pergunta. Creio que nem passa pela cabeça do grupo essa possiblidade. Mas.... como é política partidária é preciso desenhar todos os cenários, mesmo que “quase” improvável. Já a segunda é perfeitamente possível de acontecer, muito embora tenha alguns elementos que precisam ser discutidos e sanados – mas isso é ponto para um outro texto. A questão é – se optarem por fazerem das pré-candidaturas dos dois uma única chapa, quem encabeçará? Fica para leitores/as formarem opinião. Por fim, deve-se trabalhar ainda com o aparecimento de outro nome. É difícil, mas não impossível. O ex-presidente da Câmara, o vereador Antônio Leite (PDT)? Não creio muito. Deve ir a uma renovação de mandato. O atual vice-prefeito, Charles Leite (PDT)? Possível, mas não trabalharia com esse hipótese. O Engenheiro Bruno Arrais (PSD)? Está muito distante dos debates, então não apostaria nele por isso e porque não é um nome que venha sendo ventilado com força por esse grupo.

Assim como fiz no primeiro cenário, farei nesse. Se tivesse que formar opinião aqui diria que o/a pré-candidat/a a prefeito/a da oposição mais crítica sairá do PDT, cabendo ao PSD indicar o/a vice.

Quanto ao grupo que ora está no poder, a dúvida que ainda persiste é quem será o nome para a pré-candidatura a vice, já que o prefeito já decidiu que quer ter seu mandato renovado. O vice ou a vice saíra da família Rufino? Se sim, quem será? Será algum nome que já está na vereança? Mas quem? Zuelide Oliveira (PT?) Devaldo Nogueira (PT)?

Por fim, o único cenário que se desenha é que mais uma vez os munícipes terão que optar pela polaridade. Não será desta vez que teremos representantes da comunidade LBTQ+, de povos nativos ou de negrxs. 

É importante destacar que este texto não é uma opinião fechada, mas tão somente hipóteses que o tempo, as alianças e os interesses irão ou não confirmar.

Postar um comentário

0 Comentários