Dá saudades dos tempos de criança onde tudo era possível

 

(FOTO/ Reprodução).

Por Josyanne Gomes, Colunista

Dia 12 de Outubro é Dia de Nossa Senhora Aparecida Padroeira do Brasil. Dia 12 é também o Dia das Crianças. Nessa data é inevitável não ser invadida por um sentimento nostálgico, as reminiscências dos tempos da infância nos acompanham ao longo da vida. Como é bom ser criança e sentir seguro, protegido, amado, cuidado e feliz.

Eu tive a sorte de ser criança nos anos 90, e só quem viveu sabe como era importante as brincadeiras daquela década. Nós não tínhamos internet, a gente se divertia com a imaginação. Justamente por não viver exposto a tanta (des)informação a gente se permitia ser mais humano e mais ingênuo.

Muita sorte eu tive e tenho de ter uma família que sempre se importou comigo e com meus irmãos, que sempre nos respeitou como crianças e fez de tudo para que cada fase da nossa vida fosse vivida na sua plenitude e integralidade. Dá saudades dos tempos de criança onde tudo era possível. Eu podia ser estilista, atriz, professora, modelo ou simplesmente criança e, ainda assim continuava sendo feliz.

Hoje em dia a sensação que eu tenho é que as crianças estão pulando etapas da vida, estão sendo expostas a muita informação sem necessidade e se preocupando cedo demais com problemas que não lhes compete. As redes sociais como um todo têm robotizado a infância, dancinhas de tik tok e outros apps fazem das crianças todas iguais e padronizadas de uma forma ruim e capitalista.

É lamentável que a infância, uma fase tão importante e significativa esteja sendo tratada de forma negligente e a gente precise apelar para estatutos em defesa dos direitos essenciais dessa população. Esse texto que era pra descrever relatos de lembranças dos tempos de criança acabou virando uma espécie de manifesto da infância.

Postar um comentário

0 Comentários