As falácias de Bolsonaro na ONU. Confira algumas das checagens do Observatório do Clima e do Aos Fatos

 

Discurso de Bolsonaro na ONU. (FOTO/ Marcos Correa/ PR).

Por Nicolau Neto, editor-chefe

Na última terça-feira, 22, o mundo acompanhou estarrecido uma série de informações que não correspondem a realidade proferidas pelo presidente do Brasil, Jair Bolsonaro (sem partido), em seu discurso na abertura da 75ª Assembleia Geral da ONU.

Um pronunciamento que envergonha brasileiros/as e coloca o país em um patamar jamais visto na História, o da falácia.

Abaixo reunimos as principais falácias do presidente que foram chegadas pelo Observatório do Clima e pelo Aos Fatos. As checagens foram publicizadas pela Mídia Ninja e os registros fotográficos são de Daniel Mareco.

Umas das falácias é a de que “por decisão judicial, todas as medidas de isolamento e restrições de liberdade foram delegadas a cada um dos 27 governadores. Ao presidente, coube o envio de recursos e meios a todo o país”. O que se percebeu e ainda se percebe é o presidente descumprindo orientações de profissionais da saúde, desrespeitando fatos científicos e se contrapondo as medidas tomadas por governadores/as e prefeitos/as. Tanto que o STF proferiu decisão destacando que o presidente deveria respeitar a autonomia de estados e municípios.

Outra falácia que causou repúdio foi a que “os incêndios aconteceram onde caboclo e o índio queimam seus roçados”. Não há qualquer informação de que os responsáveis pelos incêndios no pantanal sejam os índios e os caboclos.

Vamos as checagens:

 









Postar um comentário

0 Comentários