PSOL foi o único partido da Câmara que votou contra o perdão de dívida bilionária de igrejas

Plenário da Câmara dos Deputados. (FOTO/ Michel Jessus/ Câmara dos Deputados).



O Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) foi o único partido dentre os 24 da Câmara dos Deputados que votou contrário a aprovação do projeto de lei que pode levar ao perdão de enormes dívidas de igrejas com a União.

Se sancionado pelo governo federal o valor perdoado poderá chegar a R$ 1 bilhão. Segundo informações da Folha de São Paulo, o PSOL que tinha nove deputados presentes na sessão de votação (15/07), foi o único que votou de forma unânime contra a medida.

Luciana Genro, deputada Estadual (PSOL/RS), justificou a votação destacando que partido “defende o Estado laico, a liberdade de crença para todas as religiões mas sua separação total do Estado”. ”Por isso jamais votaríamos a favor do perdão de dívidas de R$ 1 bilhão para as igrejas que lucram com outros negócios, ainda mais durante a pandemia quando precisamos desesperadamente de recursos para a saúde e para que as pessoas sobrevivam na crise econômica”, disse ela em sua rede social Facebook.

Postar um comentário

0 Comentários