Projeto de combate a notícias falsas da Vereadora Rafaela Gonçalves chega à Câmara de Altaneira

 

Vereadora Rafaela Gonçalves durante apresentação do PL de combate a notícias falsas. (FOTO/ Reprodução/ Facebook).

Por Nicolau Neto, editor

A vereadora Rafaela Gonçalves, com assento na Câmara de Altaneira pelo PT, apresentou na última sessão realizada na quarta-feira, 17, o Projeto de Lei Nº 04/2021 que Institui o Programa de Disseminação de Notícia Falsa (fake news).

O texto visa combater a propagação de conteúdos falsos na rede mundial de computadores, principalmente em redes sociais como Instagram, Twitter e Facebook. Em sua justificativa, a vereadora que está no seu primeiro mandato destacou que cada um/a é responsável pelo que publica na internet.

Todo cuidado é pouco. Desconfiar e checar a verdade são sempre as melhores opções. Questione e incentive essa cultura do questionamento dentro de nossa sociedade”, frisou ela.

A ideia, de acordo com a parlamentar, é construir no município um programa que seja levado aos órgãos públicos, as entidades e a administração direta e indireta que gere uma consciência ativa e proativa no combate a essas informações falsas. “Acredito que algum de nós ou alguns de nossos munícipes já sofreram os danos dessas ofensas que são verdadeiros assédios morais, verdadeiras pontes de acessos para o cometimento para possíveis crimes”, disse ao defender a propositura.

A gente tem a preocupação de que o ambiente virtual não é uma terra sem lei. Que a gente possa trabalhar isso nas escolas, nos órgão públicas e que esta casa chame profissionais capacitados para abordar o tema”, frisou a vereadora e destacou que sugeriu o mês de setembro para tal informação. Ela justificou que esse mês é aquele “que antecede as eleições e que esse município, assim como outros passa por muitas desinformações e fakes News. Então que seja combatido e despertado essa consciência nós”, finalizou

O texto foi encaminhado à Comissão Permanente da casa para ser analisado, discutido e emitido parecer. Ocorrendo em tempo hábil, deve ser votado na sessão do dia 25.

Postar um comentário

0 Comentários