“Bolsonaro é incapaz de formular 3 frases seguidas com nexo”, diz Boulos sobre medida que exclui filosofia e sociologia


Boulos usa Twiter para criticar medida do presidente Bolsonaro que decretou o fim dos investimentos federais nas faculdades de Filosofia e Sociologia. (FOTO/Reprodução/Twitter).

O Coordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), ativista político, escritor e ex-presidenciável pelo Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), Guilherme Boulos, usou sua conta no Twitter para criticar a medida do presidente Jair Bolsonaro de decretar o fim dos investimentos federais nas faculdades de Filosofia e Sociologia.

O decreto foi informado na manhã desta sexta-feira, 26, também pela rede social Twitter. De acordo com o novo ministro da Educação, Abraham Weintrab, a ideia é “descentralizar” investimento no ensino das duas áreas para “focar em áreas que gerem retorno imediato ao contribuinte, como: veterinária, engenharia e medicina”.

Bolsoanro afirmou que a função da educação é ensinar “leitura, escrita e a fazer conta e depois um ofício que gere renda para a pessoa”. Para ele, os estudos das ciências humanas desrespeitam “o dinheiro do contribuinte.

Guilherme Boulos afirmou que a medida do governo federal priva milhões de jovens que desejam cursar ciências humanas e disse que o presidente é incapaz de formular três frases seguidas com nexo. 

Boulos foi além e disse: 

"... se tivesse um bom conselheiro, poderia se matricular - junto com Sérgio Moro - numa boa Faculdade de Letras". 

Postar um comentário

0 Comentários