Debate entre candidatos a prefeito promovido pela Rádio Comunitária Altaneira FM reforça a democracia

 

Debate entre candidatos a prefeito pela Rádio Comunitária Altaneira FM reforça a democracia.
(Da esq. para a dir. Adeilton Silva, Ana Kesia, Nicolau Neto, Carlos Tolovi, Dariomar Rodrigues e Eduardo Amorim). (FOTO/ João Alves).

Por Nicolau Neto, editor-chefe

Com o tema “A INFORMAÇÃO COMO FORMA DE EMPODERAENTO COLETIVO”, a Rádio Comunitária Altaneira FM, único veículo radiofônico no município, realizou na manhã desta domingo, 25, debate entre postulantes ao paço municipal Francisco Fenelon Pereira. De um lado a candidata pela oposição, Ana Késia (PDT) e do outro, buscando a reeleição, Dariomar Rodrigues (PT).

Mediado pelo professor Carlos Tolovi, o debate foi estruturado em quatro blocos. Perguntas ao candidato e a candidata feita pelo mediador estruturaram o primeiro bloco, perguntas entre postulantes no segundo bloco, perguntas da comunidade a/ao candidata/o marcaram o terceiro momento e as considerações finais no último bloco.

As perguntas do mediador versaram sobre pontos crucias e que permitiram percebermos as contradições das candidaturas e das alianças formadas (comum por aqui). Como a que iniciou o debate. “Nesse pleito de 2020, o que o altaneirense poderia esperar de novidade, sendo que a base dos dois grupos disputando a prefeitura é formada por ‘veteranos de guerra’? As novas propostas de vocês não seriam ‘remendos novos’ em ‘panos velhos’?

A segunda pergunta tocou na ferida, tanto de candidatos/as como de eleitores/as – a comercialização do voto. Afinal, quem vende seu voto está vendendo sua dignidade. Diante disso, perguntou o mediador “o discurso de vocês, como candidatos, exige do eleitor um ato de fé (ele precisa acreditar no que está dizendo). E isso, inclusive, favorece a comercialização do voto. Nesse contexto, como vocês reagem diante do (a) eleitor (a) que se oferece como ‘prostituto’ para que você coloque um preço pela sua adesão, pelo seu voto?

Já a terceira pergunta enveredou pelo histórico de disputas familiares pelo poder, pela hegemonia no campo da política, onde o eleitor e a eleitora acabam sendo envolvidas nessa disputa sem realizar uma análise crítica e profunda de como essa situação de desenvolve. “Como vocês avaliam a histórica rivalidade familiar que marcaram estes últimos pleitos e administrações? Isso não seria um mal exemplo para o eleitor? Não passa a ideia de que os fins justifica os meios?  Tudo vale para se chegar ao poder?”, indagou.

Já as perguntas entre a candidata e o candidato não fugiram à regra do que vem se desenhando na pré-campanha e durante a campanha. Enquanto a candidata enveredou pelo caminho da “ausência de obras” durante o mandato de Dariomar, este seguiu pela linha de que a candidata “não reside aqui e por isso não as ver” (obras). Quanto a planos apresentados, Kesia afirmou que vai retomar programas da gestão Delvamberto, como o Bolsa Mãe e o Bolsa Universitária que, segundo ela, deu certo. Já Dariomar destacou resultados positivos do município na área da educação e integralidade do transporte universitário e a abertura de estradas vicinais.

O ponto mais emblemático ocorreu justamente nesse momento, considerado pelo mediador como “o coração do debate”, pois é aqui que se dá o enfretamento de ideias. A candidata destacou que se eleita irá ratear os recursos do antigo FUNDEF com a classe de professores/as, enquanto que o candidato trouxe para o debate o fato de que órgãos judiciais já opinaram pelo investimento desse recursos com a educação (em reformas de escolas, por exemplo).

Durante a semana que antecedeu o debate ficou disponível na rádio duas caixas onde a comunidade podia depositar perguntas a candidata e ao candidato. Três perguntas foram direcionadas para ambos. Entre elas, destaque para a que versou sobre políticas de acessibilidade para a candidata da oposição e sobre as ações de enfrentamento à Covid-19 para o candidato que busca a reeleição.

O debate promovido pela Rádio foi educativo, reforçou um poder que só a democracia é capaz de dar – o de manifestarmos as nossas ideias que podem se transformar em questionamentos ou propostas que influenciem, direta ou indiretamente, as administrações públicas - e ao mesmo tempo o de poder despertar a consciência crítica e o exercício da cidadania, que são dimensões indispensáveis para a transformação da realidade.

Embora não tenha conseguido mexer com as estruturas de eleitores/as e apoiadores/as mais apaixonados/as, o debate se constituiu como mais um momento de oportunizar a você, eleitor/a, a chance de escolher com segurança e responsabilidade quem vai administrar o município. Nenhum candidato/a saiu vitorioso ou derrotado, mas com certeza a comunidade altaneirense saiu fortalecida e convicta de que só o respeito as opiniões e as escolhas do/a outro/a deve ser endossado.

Clique aqui e confira o debate que foi transmitido ao vivo na página da Rádio Comunitária Altaneira FM no Facebook.

Postar um comentário

0 Comentários