Professora Cícera Nunes, da URCA, tem projeto aprovado no Edital Educar para a Igualdade Racial, do CEERT

 

Professora Cícera Nunes, da URCA, tem projeto aprovado no Edital Educar para a Igualdade Racial, do CEERT. (FOTO/ Reprodução).

Por Nicolau Neto, editor-chefe

A professora Cícera Nunes, do Departamento de Educação da Universidade Regional do Cariri (URCA), teve o projeto “O currículo e os processos de formação docente no campo das relações étnico-raciais na educação básica numa perspectiva inter e transdisciplinar” aprovado no Edital Educar para Igualdade Racial, do Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades (CEERT).

O Edital contou com 863 projetos inscritos de todas as regiões do país e o de Cícera Nunes que também coordena o Núcleo de Estudos e Pesquisas em Educação, Gênero e Relações Étnico-raciais (NEGRER), foi um dos 15 aprovados.

Segundo informações colhidas junto ao portal da URCA, o projeto será desenvolvido por 18 meses em parceira com o Coletivo Camaradas e a Escola de Ensino Fundamental Dom Quintino, da rede pública municipal de Crato/CE, no qual atuarão como polos para interlocução com outras escolas do bairro e com o repertório histórico-cultural presente na localidade.

A finalidade da ação consiste em realizar um levantamento diagnóstico das ações pedagógicas para se compreender as possibilidades e dificuldades na abordagem da temática, além de mapear o repertório cultural que preserva a relação com a cosmovisão africana, afrobrasileira e indígena da comunidade na qual as escolas estão inseridas.

Por meio da URCA e coordenado por Cícera Nunes, o projeto dará suporte à uma ação interventiva de educação básica, que permita propor um programa formativo de modo a atender as determinações das Leis Nº. 10.639/03 e Nº. 11.645/08. Para tanto, haverá a implementação de um laboratório artístico-cultural de produção de material didático pedagógico e organização de acervos documentais e bibliográficos com base na tradição oral de base africana e indígena para subsidiar os programas de formação docente e as pesquisas nesses temas.

Ainda de acordo com a URCA, o estudo contará com um comitê gestor formado pela professora Maria Otilia Pereira Moreira, diretora da Escola de Ensino Fundamental Dom Quintino Crato-Ceará, Francisco Silva do Nascimento, Representante do Coletivo Camaradas, Thiago de Abreu e Lima Florêncio – professor do Departamento de História e coordenador do Núcleo de Descolonização do Saber (NEDESA/URCA)  e Francisco Joedson da Silva Nascimento, pesquisador da temática indígena, vinculado ao (NEGRER/URCA) e ao Laboratório de Estudos de Gênero, Étnico-Raciais e Espacialidades (LAGENTE/UFG).

Em contato com a redação do Blog, a professora Cícera destacou a importância do projeto em que pese a formação de professores para as relações étnico-raciais e atribuiu a aprovação a todos/as que lutam por lutam por uma educação antirracista.

Postar um comentário

0 Comentários