Taras do poder


Milton Hatoum. (FOTO/Reprodução/Facebook).


Um dos enganos dos políticos é pensar que o poder é infinito. Mas, parafraseando o belíssimo verso de Vinicius, o poder só é infinito enquanto dura.

Essa fantasia parece dançar na mente dos poderosos, mas o baile e a festa não são eternos.

É difícil dizer qual ministro deste governo é o mais ignorante, incompetente, boçal, cínico, mentiroso. Quem seria?

Uma outra pergunta: um magistrado que se diz probo, ético até o tutano, aceitaria ser ministro de um presidente que elogia torturadores e ditadores? Só isto já não seria motivo suficiente para se afastar de um presidente antidemocrático? Um ministro da Justiça com postura ética, ou seja, responsável, suportaria calado ouvir de seu chefe elogios a Augusto Pinochet e Alfredo Stroessner, dois dos ditadores mais corruptos e sanguinários desta América?

Parece que o pretenso salvador da pátria está mais preocupado em salvar sua pele. Ou seja, seu cargo. Para isto, suporta tudo, até a humilhação. Seu destino será o mesmo de um dos anti-heróis de Balzac: um personagem ávido de poder e embrigado pela fama, reduzido a um homúnculo.
______________________________
Texto do escritor Milton Hatoum publicado em seu perfil no Facebook.

Postar um comentário

0 Comentários