Câmara de Altaneira aprova contratação temporária para a saúde e reajuste para servidores


Câmara de Altaneira aprova contratação temporária para a saúde e reajuste para servidores. (Foto: João Alves).

O plenário da Câmara de Altaneira aprovou em duas sessões extraordinárias na manhã desta terça-feira, 29, dois projetos de leis originários do poder executivo. O de nº 001/2019 dispõe sobre o reajuste salarial de servidores e o 002/2019 altera a lei 730/2018, autorizando a contratação temporária de 60 servidores, dentre eles médicos com diversas especialidades, enfermeiros, farmacêuticos, fisioterapeutas, odontólogos, técnico de enfermagem, motorista, etc.

O relator dos textos foi vereador Antonio Leite (PDT). Isso porque o legislativo ainda não dispõe de comissão permanente, cabendo ao presidente da casa, o vereador professor Adeilton (PSD) designar a relatoria.

Dados colhidos junto ao sítio oficial da Câmara destacam que o relator chegou a questionar o reajuste. Segundo ele, “o percentual de 4,612% e apenas de reparar a corrosão impostas pelos índices inflacionários divulgados pelo governo federal, não se tratando de reajuste efetivado pelo executivo municipal como foi propagado nas redes sociais”.

Antonio Leite também criticou a contratação temporária dizendo, conforme informações do sitio supracitado, “haver despreparo e falta de planejamento da administração” uma vez “que todos os cargos elencados, tanto na lei 730, quanto na presente alteração são cargos de serviços continuados que deveria ser prestados a população de forma regular e constante”, chamando a atenção de que “o ingresso legal seria por chamamento de concurso público”.

Quem também endossou as críticas de Antonio Leite foi Devaldo Nogueira (MDB), se mostrando indignado “com a contratação de médico veterinário em anos anteriores, mas que os serviços não foram executados”.

Os textos receberam apoio da vereadora Zuleide Ferreira (PSDB). Apesar dos posicionamentos em contrário, as matérias foram aprovadas por unanimidade e serão encaminhadas ao executivo para sanção.

Postar um comentário

0 Comentários