Arte urbana no Bairro do Gesso busca ressignificar a relação com a presença negra e indígena

 

 

Por Cicera Nunes e Joedson Nascimento

No sábado, 08 de janeiro de 2022, o Bairro do Gesso localizado na cidade do Crato, amanheceu com suas paredes pintadas de gente. No dia anterior foi iniciada uma ação de arte urbana que busca refletir nas paredes de algumas casas e prédios, as histórias e memórias da população do bairro, que tem forte ancestralidade negra e indígena.

A ação faz parte do projeto “O currículo e os processos de formação docente no campo das relações étnico-raciais na educação básica” que busca dialogar com o território de saberes negros e indígenas presentes no Bairro do Gesso, compreendendo-o como um livro vivo que pode ser lido para ressignificar a nossa relação com o território e, com isso, atribuir sentido ao que se aprende e se ensina na escola.

Como parte das ações que envolvem o levantamento de histórias de vida, produção de material áudio visual, elaboração de cadernos pedagógicos, ação de formação de professores (as) da rede de educação básica, organização de biblioteca comunitária, desenvolvimento de aplicativo para conhecimento dos pontos de memória, o projeto também propiciou uma intervenção urbana nos muros da comunidade com a participação dos artistas Wanderson Petrova, Cristiano Ramos e Jéssyca Sereia. A intervenção trata-se de uma grande ação coletiva que envolve a participação de estudantes e professores (as) da Escola de Ensino Fundamental Dom Quintino e moradores (as) do lugar. As pinturas dialogam com referências negras e indígenas do contexto nacional e local, ao tempo em visibiliza o legado ancestral presente na comunidade.

Com isso, busca-se positivar a existência negra e indígena, retratar as memórias históricas a partir das experiências vividas pelas pessoas do lugar, aprender a partir do que se retrata nos murais do território, compreender a dimensão de resistência presente na arte urbana, atribuir sentido à relação entre o conhecimento sistematizado e os saberes tradicionais.

A ação pedagógica que envolve a intervenção educativa na comunidade está inserida também no contexto das reformas urbanas que vêm sendo realizadas por coletivos e ações comunitárias protagonizadas pelos (as) moradores (as) da comunidade.

As ações são fruto do projeto O currículo e os processos de formação docente no campo das relações étnico-raciais na educação básica numa perspectiva inter e transdisciplinar” que conta com o apoio do Edital "Equidade Racial na Educação Básica: Pesquisa aplicada e Artigos científicos" organizado pelo CEERT em parceria com as organizações: Itaú Social, UNICEF, Instituto Unibanco e Fundação Tide Setubal". São parceiros dessa ação O Núcleo de Estudos e Pesquisas em Educação, Gênero e Relações Étnico-Raciais NEGRER/URCA, a Escola de Ensino Fundamental Dom Quintino, o Coletivo Camaradas, o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Crato e conta com o apoio do Grupo de Valorização Negra do Cariri – GRUNEC.

Abaixo você confere mais fotos:

Arte/ Cristiano Ramos.


Arte/ Wanderson Petrova.

Arte/ Jéssyca Sereia

Postar um comentário

5 Comentários

  1. Iniciativa/luta das mais importantes e necessárias. Parabens a tods envolvids nesta luta. Parabens a Prof CiceraNunes, parabens aos alunos e professores da escola, aos artistas, as instituiçoes e organizaçoes envolvidas e apoiadoras. Vcs estao elevando o bairro do gesso a outro patamar mostrando para Comunidade e para cidade Crato, por meio deste projeto, os saberes construidos pelos negros e indios, tão invisibilizados pelo sistema social dominante, racista e excludente.... Força, guerreirs. Todo apoio.

    ResponderExcluir
  2. Trabalho inspirador. Magnífico!
    Parabéns a todos os envolvidos neste projeto. Arte e (r)existência negra e indígena!

    ResponderExcluir
  3. Sensacional! Lindo!!! Criativo, inteligente. Precisa ser listado como atração turística na cidade, mostrando a consciência da população sobre a importância dos negros na formação do país. Bem como o RESPEITO devido à arte e cultura negra. E a conscientização que racismo não tem lugar ali e não deveria existir em lugar nenhum

    ResponderExcluir
  4. Que trabalho incrível! Parabéns a professora Cícera Nunes, aos alunos, artistas e a todos os envolvidos no projeto.

    ResponderExcluir
  5. Que trabalho incrível! Parabéns a professora Cícera Nunes, aos alunos, artistas e a todos os envolvidos no projeto.

    ResponderExcluir

Ao comentar, você exerce seu papel de cidadão e contribui de forma efetiva na sua autodefinição enquanto ser pensante. Agradecemos a sua participação. Forte Abraço!!!