Escola Menezes Pimentel tem projeto vencedor no Ceará Científico 2021

 

Kayke e Elizabeth durante a fase de produção de armadilhas. (Foto cedida ao Blog).

Por Nicolau Neto, editor

A Secretaria da Educação do Estado do Ceará (Seduc) divulgou na tarde desta segunda-feira, 13, o resultado dos trabalhos das escolas da rede estadual que foram vencedores da edição 2021 do Ceará Científico Digital.

A ação, segundo a Seduc, faz parte da política de popularização das ciências, cultura e tecnologia do Governo Estadual e tem como finalidade estimular a produção e a dinamização do conhecimento, no contexto da sala de aula, da comunidade e da sociedade, proporcionando a vivência do protagonismo estudantil.

Promovido pela Secretaria Estadual da Educação em parceria com a Seara da Ciência - órgão que está vinculada à Universidade Federal do Ceará (UFC) - o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), esta edição contou com mais de 140 trabalhos distribuídos em nove categorias.

A Escola de Ensino Fundamental e Médio Menezes Pimentel, em Potengi, vinculado a 18ª Coordenadoria Regional de Educação (Crede 18) conseguiu o 1º lugar na categoria “Ciências e Engenharia” com o projeto “Armel: Armadilha Elétrica Contra Mosquitos”. O referido projeto teve como orientador o professor de Física, Rosemberg, e como orientandos/as os/as estudantes Francisco Kayki (2º Ano A) e Elizabeth Nunes (3º Ano A).

A pesquisa visou produzir armadilhas para atrair e matar mosquitos. Um dos artifícios utilizados foi o circuito metálico da raquete. Clique aqui e saiba mais detalhes sobre o projeto.

Indagado pelo Blog Negro Nicolau sobre como se sentiu ao receber o resultado, o estudante Kayki afirmou que foi um “misto de emoções. Mas acima de tudo muitíssimo feliz e grato.” O Blog também perguntou se o resultado já era esperado. “Sim”, disse ele. “Principalmente ao vermos a repercussão que o nosso projeto ganhou após as nossas primeiras apresentações”, complementou.

Contribuiu de diversas formas, principalmente incentivando-me a adentrar nesse universo de pesquisa, nesse mundo científico”, pontuou Kayki ao responder o Blog sobre as contribuições que o projeto trouxe para sua trajetória educacional.

Kayke que acompanhou a transmissão do resultado na tarde de sexta-feira (10) na escola junto ao professor Rosemberg, sua parceira de pesquisa Elizabeth e a coordenadora Aila Simão, é um dos 30 estudantes selecionados para receber uma bolsa de iniciação científica do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Abaixo outras fotos:




Postar um comentário

1 Comentários

Ao comentar, você exerce seu papel de cidadão e contribui de forma efetiva na sua autodefinição enquanto ser pensante. Agradecemos a sua participação. Forte Abraço!!!