Abraji repudia ataque de Bolsonaro à imprensa: “diante de notícia que o desagrada, ataca o mensageiro”


Jair Bolsonaro. (FOTO/ Antonio Cruz/ Agência Brasil).

A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) fez nota onde condena nova declaração do presidente Jair Bolsonaro, nesta segunda-feira (7), com críticas à imprensa. Para a associação, Bolsonaro mais uma vez demonstra “ignorância sobre o papel da imprensa e seu próprio status de presidente da República”.

A entidade diz que Bolsonaro, “usa um discurso típico de líderes autoritários: diante de uma notícia que o desagrada, ataca o mensageiro, sem se preocupar em esclarecer o fato noticiado”.

Veja a nota completa abaixo:

Bolsonaro volta a usar discurso típico de líderes autoritários e ataca imprensa

Em mais uma demonstração de ignorância sobre o papel da imprensa e seu próprio status de presidente da República, Jair Bolsonaro acusou meios de comunicação de publicar desinformação a seu respeito nesta segunda-feira (6.jan.2020). Na entrada do Palácio da Alvorada, declarou, enquanto cumprimentava eleitores: “Quem não lê jornal não está informado. E quem lê está desinformado. Tem de mudar isso. Vocês são uma espécie em extinção. Eu acho que vou botar os jornalistas do Brasil vinculados ao Ibama.”

O presidente comentava uma reportagem do UOL, segundo a qual ele usou recursos públicos em sua campanha a deputado federal em 2014: “É de uma imbecilidade. (…) Não sabe nem mentir mais”.

Acusou, ainda, a Folha de S. Paulo de “usar mentiras”. Em nenhum dos casos — como já é habitual — Bolsonaro apresentou fatos para contrapor a reportagem ou demonstrar o uso de mentiras.

Novamente, Jair Bolsonaro usa um discurso típico de líderes autoritários: diante de uma notícia que o desagrada, ataca o mensageiro, sem se preocupar em esclarecer o fato noticiado.

Se quer mesmo preservar o jornalismo e os jornalistas, basta o presidente obedecer a Constituição sob a qual governa e respeitar a liberdade de imprensa, deixando de lado declarações irresponsáveis e retaliações.

Diretoria da Abraji, 6 de janeiro de 2020.
______________________________
Com informações da Revista Fórum.

Postar um comentário

0 Comentários