Profissão de Historiador é regulamentada em caráter definitivo pelo senado


Profissão de Historiador é regulamentada. (FOTO/ Divulgação).

Texto: Nicolau Neto

O plenário do Senado aprovou na tarde desta terça-feira, 18, em caráter definitivo, a profissão de Historiador.

A proposta (substitutivo da Câmara dos Deputados, SCD n° 3/2015), de autoria do Senador Paulo Paim (PT/RS) foi aprovada no dia 8 de julho de 2017 na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) em deliberação final. A senadora Fátima Bezerra (PT-RN), como relatora, acatou o substitutivo ao projeto original (PLS 368/2009).

Com o projeto aprovado pelo senado, podem exercer essa função quem possui curso de nível superior em História, nacional ou estrangeiro com revalidação, diploma de mestrado ou doutorado em História, diploma de mestrado ou doutorado obtido em programa de pós-graduação reconhecido pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) com linha de pesquisa dedicada à História, além daqueles profissionais diplomados em outras áreas que tenham exercido, comprovadamente, há mais de cinco anos, a profissão de historiador, a contar da data da promulgação da lei.

Em suas redes sociais, Durval Muniz, professor titular da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) parabenizou todos aqueles que terão sua profissão regulamentada, além de ter parabenizado o trabalho desenvolvido pela Associação Nacional de História (ANPUH) que, para ele, sem ela “essa conquista tão almejada e tanto batalhada, não teria ocorrido”.

Segundo Durval, a informação é “uma grande notícia em meio a tanto desalento”.

Com a aprovação - que contribui de forma significativo para o reconhecimento de tão importante atividade - ficará faltando apenas a sanção presidencial.

Postar um comentário

0 Comentários