Deputada aliada de Bolsonaro cria canal de denúncia contra professores "doutrinadores"


A deputada é cotada para a Secretaria de Educação de Santa Catarina. (Foto: Reprodução).

Os partidários de Jair Bolsonaro nem esperaram a posse formal do novo presidente em 1º de janeiro de 2019. Na noite do domingo 28, logo após o anúncio da vitória nas urnas do candidato do PSL, Ana Caroline Campagnolo, eleita deputada estadual em Santa Catarina pelo partido do ex-capitão, abriu um canal de denúncias na internet contra professores “doutrinadores”.

Campagonolo, cotada para ser secretária de Educação do estado, segue os passos da alemã AfD, legenda de extrema-direita, que criou um canal semelhante para que alunos denunciem a doutrinação nas escolas. No caso, a AfD estimula os estudantes a filmar professores que critiquem o partido.

"Garantimos o anonimato dos denunciantes", afirmou a deputada em uma rede social. Historiadora, Campagnolo processou a professora Marlene de Fáveri, da Universidade do Estado de Santa Catarina e sua ex-orientadora no mestrado, em 2016, por suposta "perseguição ideológica".

O caso foi julgado improcedente em setembro deste ano pelo 1º Juizado Especial Cível de Chapecó (SC), mas a deputada eleita

Segundo Campagnolo, "amanhã é o dia em que os professores e doutrinadores estarão inconformados e revoltados". Ela prossegue: "Muitos deles não conterão sua ira e farão da sala de aula um auditório cativo para suas queixas político partidárias em virtude da vitória de Bolsonaro. Filme ou grave todas as manifestações político-partidárias ou ideológica", diz a imagem.

Em resposta a alguns comentários em suas redes sociais, a deputada sugere aos estudantes: "Deixem o celular em casa e levem gravador e filmadora mesmo". Em outra resposta, reforçou que "é só se comportar direitinho que não precisa ter medo". (Com informações de CartaCapital).


Postar um comentário

0 Comentários