Centenas de pessoas vão as ruas de Nova Olinda contra Bolsonaro


Mais de 300 pessoas disseram não a Bolsonaro neste sábado, 29, em Nova Olinda. (Foto: Lucas Nunes).

Centenas de manifestantes saíram às ruas de Nova Olinda, no sul do Estado do Ceará, no início da noite deste sábado, 29, para protestarem contra as ideias retrógradas, conservadoras e que incitam o ódio do candidato à presidência da república Jair Bolsonaro (PSL).

A manifestação foi convocada por universitárias/os, professores/as e ativistas sociais e políticos e ações nas redes sociais. A concentração do ato se deu ao lado da Escola Estadual Padre Luís Filgueiras onde houve a distribuição de adesivos do “Ele não”, cartazes e faixas.
Com perfis, pensamentos, propósitos e preferência partidárias diferentes, o ato seguiu em caminhada e com o microfone disponível pelas principais ruas, passando pela Avenida Perimentral Sul até chegar no calçadão da Prefeitura. Aqui várias falas foram feitas.

Centenas de pessoa em caminhada pelas ruas de
 Nova Olinda. (Foto: Nicolau Neto).
Discorreram a liderança política no município, Aureliano Souza, o ativista social Márcio Santos, os universitários/as Enzzo Lima, Matheus Santos, Ana Karolyne, Kênia Saraiva, Ranielda Bernardes, Willyam Luxo, Alan Cordeiro, o professor e coordenador da Crede 20, Roberto Souza e o professor e ativistas dos direitos civis e humanos das populações negras, Nicolau Neto.

Além de se posicionarem contra as declarações que consideram machistas, racistas, misóginas e homofóbicas feitas pelo candidato do PSL, os/as manifestantes - a grande maioria constituída de mulheres -, frisaram para a importância de se elegerem no próximo dia 7 candidatos e candidatas para o congresso nacional que não apoiem a agenda de Bolsonaro. Segundo Aureliano e Roberto, por exemplo, tão importante quanto saber escolher representantes que não compactuem com essa agenda conservadora e retrógrada a nível de país e de estado, é não lembrar bem dos rostos que promoveram a manifestação pró-Bolsonaro no último final de semana em Nova Olinda para não os condirem mais uma vez a mandatos eletivos.

Enzzo, Matheus, Karolyne, Márcio e Ranielda, Luxo e Kênia reforçaram a importância da manifestação e que ela é o grito daqueles e daquelas que querem a construção de uma sociedade baseada na respeito à dignidade das pessoas.

O professor Nicolau destacou que aquele movimento foi histórico e que estava muito feliz em participar e testemunhar uma aula de cidadania e de politização. Nicolau frisou que o que reuniu pessoas de ideologias e preferência política partidária diversa foi algo maior. “Nos reunimos para conter o avanço do conservadorismo, do retrocesso e do ódio a grupos historicamente marginalizados”, destacando as mulheres (que são maioria), negros (maioria), indígenas e comunidade LGBTTs. Para ele, o posicionamento contrário as declarações do candidato do PSL não se baseia em diferenças de projeto de país, mas porque ela desrespeita os princípios básicos de uma nação que se pretenda democrática. E democracia se constrói e se fortalece com respeito aos direitos humanos. Se faz e se amplia com politização e com cidadania. “Nós queremos viver e conviver em harmonia”, finalizou.

A manifestação contou com cerca de 300 (trezentas) pessoas. Jovens de Altaneira também se fizeram presente. 



Postar um comentário

0 Comentários