Gilberto Gil é eleito para Academia Brasileira de Letras

 

(FOTO/ Reprodução).

Na tarde desta quinta-feira (11), o músico baiano Gilberto Gil, de 79 anos, foi eleito por maioria absoluta à cadeira de número 20 da Academia Brasileira de Letras (ABL). Gil teve 21 votos, enquanto o poeta Salgado Maranhão teve 7 votos e o autor e crítico literário Ricardo Daunt não foi votado.

A vaga ficou disponível após o falecimento do acadêmico e jornalista Murilo Melo Filho, em maio do ano passado. A cadeira 20 tem como patrono o médico e jornalista Joaquim Manuel de Macedo e já pertenceu a um dos fundadores da ABL, Salvador de Mendonça. Também foram ocupantes da cadeira Emílio de Meneses, Humberto de Campos, Múcio Leão e Aurélio de Lyra Tavares.

Gilberto Gil é cantor, compositor, multi-instrumentista e produtor musical. No currículo, o artista tem dois prêmios Grammy Awards, nos anos de 1998 e 2005. Ele também ganhou duas vezes o Grammy Latino, em 2001 e em 2002. Em 1999, foi nomeado “Artista pela Paz”, pela Unesco. O novo imortal tem uma extensa discografia com mais de 50 álbuns.

Mudanças na ABL

Na semana passada, a Atriz Fernanda Montenegro foi eleita à cadeira 17, sendo a única candidata à vaga. Na ocasião, a atriz de 92 anos recebeu 32 votos. Fernanda se tornou a primeira atriz a receber o título.

Faltam mulheres negras

A Academia Brasileira de Letras ainda não elegeu nenhuma mulher negra. Em 2018, a ABL elegeu Cacá Diegues para a cadeira número 7 para vai substituir o cineasta Nelson Pereira do Santos. Na ocasião, ele derrotou outros dez candidatos, entre eles Conceição Evaristo, a escritora, de 71 anos, que tem seis livros publicados e já venceu o Jabuti, o mais tradicional prêmio da literatura brasileira.

____________________

Com informações do Notícia Preta.

Postar um comentário

0 Comentários