Movimento iniciado em 2015 em Beberibe trabalha uma infância sem racismo


Movimento por uma infância sem racismo em Beberibe - CE / Imagem: Reprodução - Facebook - Circo Multicor.

Iniciado no ano de 2015, o movimento, desenvolvido no município de Beberibe no estado do Ceará traz a marca da relação entre o sonho e a realidade, num processo de construção coletiva, repleto de aprendizados e desafios. O trabalho partiu de um projeto de leitura que em 2010 desenvolvi numa escola pública local, enquanto professora de ensino fundamental, no desenvolvimento do trabalho de intervenção literária afrobrasileira para discutir questões relacionadas a identidade e analisar as relações étnico-raciais  na escola e comunidade por meio da literatura afro-brasileira, quando me deparei com uma cena de racismo que me fez refletir sobre a educação étnico-racial oferecida às nossas crianças e adolescentes. Esse cenário sinalizava seguir adiante. Após trabalhos de pesquisa nas escolas públicas, junto a profissionais sobre as situações de racismo na escola, foram observados dois aspectos fundamentais: que as crianças negras são vítimas de chacota e imagens depreciativas que prejudicam sua auto-estima, afastando-as da convivência em grupo.

Outro aspecto referia-se a situação da escola que apesar da implantação da Lei 10.639/03 que estabeleceu as Diretrizes da educação das relações étnico-raciais e posterioriromente alterada pela Lei 11.645/08 (BRASIL, p. 17-29), ainda limitava-se a ações pontuais. O racismo, na maioria das vezes, é naturalizado por ela, e não efetivadas as denúncias. Os  professores em sua maioria, não conseguem fazer um debate mais aprofundado da temática, principalmente no Ensino Fundamental I, a literatura afro-brasileira sequer era conhecida. O que ocorre são esforços individuais sobre o assunto “Pesquisa Direta – Lima1, 2011”.

Em 2014 a gestão municipal aprovou expandir a experiência para nove escolas da rede municipal e na linha da política de proteção envolvendo grupos de Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos dos Centros de Referência da Assistência Social (CRAS) do município. Por outro lado, buscou-se impulsionar os profissionais para o desenvolvimento de práticas pedagógicas de elogio à diversidade e de superação do preconceito racial, propondo uma infância livre do racismo, incluindo assim questões como identidade e raça. Sendo um trabalho contínuo e anual, inserido nos planejamentos de atividades dos espaços educacionais e de convivência, envolvendo ações de atendimento direto, destacando elementos literários afro-brasileiros e demais linguagens, como poesia, teatro, dança e música, para que crianças e adolescentes tenham contato com temas variados e que expressem respeito às diferenças sociais, étnicas e culturais do povo brasileiro, bem como ações itinerantes e envolvimento com entidades da Sociedade Civil, famílias e comunidade.

O que era um objetivo tornou-se o projeto: Beberibe Multicor – Um movimento por uma infância sem racismo. Apoiado pelo Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Criança e Adolescente (CMDCA), o qual o indicou a concorrer ao Edital de Apoio aos fundos desse Conselho formalizado pela Fundação Itaú Social, sendo aprovada a parceria através de recursos para o ano de 2015.

Uma das ações executadas pela gestão municipal em parceria com a Sociedade Assistencial de Beberibe (SABE) - Organização da Sociedade Civil, sem fins lucrativos com 34 anos de história em Beberibe, foi a publicação de 06 obras literárias infanto-juvenil de autores regionais e locais, acerca da temática, totalizando a distribuição de 4.000 livros no território local e outros estados.

No ano de 2018 a SABE assume a execução do Projeto, trazendo uma das ações itinerantes do movimento para tornar-se O Circo Multicor – Arte e Educação por uma Infância sem Racismo, como espaço de referência na valorização do patrimônio histórico e cultural dos afrodescendentes, no atendimento a 1.400 crianças e adolescentes das 34 escolas da Rede Municipal de Ensino e 04 comunidades tradicionais do município de Beberibe, na perspectiva de combater o racismo na infância por meio de vivências, intervenções artísticas e literárias, incluindo ações de mobilização dos atores sociais que compõem o SGD.

Agradecemos a oportunidade de contar a nossa história com a possibilidade de que ela chegue a outros muitos terreiros desse nosso chão chamado Brasil.

Venham nos conhecer! (Com informações do Circo Multicor).

Postar um comentário

0 Comentários